terça-feira, 8 de maio de 2007

Se eu fosse...

O Pedro pediu... eu fiz.

Se eu fosse...
Se eu fosse uma hora do dia, seria a meia-noite em ponto.

Se eu fosse um astro, seria Vega!
Se eu fosse uma direcção, apontaria a Sul.
Se eu fosse um "móvel", seria um puff.
Se eu fosse um líquido, seria um tinto velho para degustação lenta.
Se eu fosse um pecado... hum... seria um resumo de muitos...

Se eu fosse uma pedra, seria lapis lazuli .
Se eu fosse uma árvore, seria um abeto.
Se eu fosse uma fruta, seria cereja.
Se eu fosse uma flor, seria um nenúfar.
Se eu fosse um clima, seria semi-tropical.
Se eu fosse um instrumento musical, seria um violino.
Se eu fosse um elemento, seria ar...
Se eu fosse uma cor, seria o amarelo.

Se eu fosse um animal, seria um papagaio rabugento.
Se eu fosse um som, seria o das ondas.
Se eu fosse música, seria a "canção do mar".
Se eu fosse um estilo musical, seria jazz...
Se eu fosse um sentimento, seria o amor.
Se eu fosse um livro, seria "O livro do desassossego".
Se eu fosse um lugar, seria uma praia qualquer...
Se eu fosse um gosto, seria agridoce.
Se eu fosse um cheiro, seria o da maresia.
Se eu fosse uma palavra, seria "sim".
Se eu fosse um verbo, seria "sonhar".
Se eu fosse um objecto, seria um lápis.
Se eu fosse parte do corpo, seria as mãos.
Se eu fosse expressão facial, seria o sorriso.
Se eu fosse personagem de desenho animado seria.. sei lá!
Se eu fosse filme, seria uma trilogia: "Branco", "Azul" e "Vermelho", de Kieslowzki.
Se eu fosse forma, seria uma espiral.
Se eu fosse número, o 3.
Se eu fosse estação, seria o Verão.
Se eu fosse uma frase, seria "Ama e faz o que quiseres!”
Mas se eu fosse qualquer uma destas coisas... não seria o que sou. E isso sim, seria uma maçada! :)

Não sei quem inventou isto... mas alguém devia castigá-lo!
Parece que é preciso passar... mas como eu cheguei atrasado, dispenso-me dessa obrigação.

6 comentários:

NaSacris disse...

Oh Manuel! "... Serias um papagaio rabugento!" Ai! ai!
Mas gostei especialmente do "tinto velho para degustação lenta". É um prazer imenso.
Ah, só para que conste: não fui e que inventei este desafio!
Abraço
Pedro

Vítor Mácula disse...

Então, Manel, nem o Vickie nem o homem-aranha... nada?... ;)

Mas claro que tinhas de acabar com uma interrogação acerca da identidade e do inventor de testes tais ;) Não me digas que na psicologia dinâmica não usam estas coisas, mais para estabelecer relação e relações do que para categorizar a identidade da pessoa (digo eu...)

E atrasado 'tá o "je".

Abraço

PS: Raio do Pedro o Justo :)

Manuel disse...

Pedro,

SEmpre achei piada aos papagaios rabugentos... :)

Manuel disse...

Vítor,

A psicologia dinâmica e os seus testes projectivos já tiveram melhores dias... eheheh
Mas é verdade que estas coisas acabam sempre por mostrar alguma coisa... nem que seja o mau feitio! :)

Abraço

cvj disse...

E se eu estivesse no Darfur...
Um gesto pelo Darfur? Não custa nada!
Vá ao jovensemissao.blospot.com e confira no post sair do silêncio.
Informe, divulgue e sensibilize sff.
Não custa nada e pode fazer bem a muitos.
Abraço
leonel

Humberto Branco disse...

Obra do Divino Espiríto Santo.

PAX CHRISTI!


Amante de Contemplação